Atos dos Apóstolos 13 – Estudo e Explicação dos Versículos

Publicidade

Atos dos Apóstolos é um livro bíblico do Novo Testamento que relata a história do cristianismo primitivo. Atos dos Apóstolos 13 é um momento crucial na história de Paulo e na expansão do evangelho para os gentios.

Neste estudo, serão analisados os versículos de Atos dos Apóstolos 13 e a importância deles no início da missão paulina.

Publicidade

Além disso, serão explorados os primeiros desafios encontrados por Paulo em sua primeira viagem missionária, o encontro com um falso profeta chamado Barjesus, e o impacto do seu sermão na sinagoga em Antioquia da Pisídia.

Contexto histórico

O capítulo 13 do livro de Atos dos Apóstolos ocorre em um momento importante da história do cristianismo primitivo, com a missão de Paulo começando a se desenvolver.

Paulo, anteriormente conhecido como Saulo de Tarso, era um dos principais perseguidores dos cristãos, mas se converteu ao cristianismo após ter uma visão de Jesus ressuscitado.

Atos dos Apóstolos 13 - Estudo e Explicação dos Versículos

A partir deste encontro, Paulo se tornou um dos apóstolos mais importantes e influentes de todos os tempos.

Antes de sua missão se iniciar, houve muitos eventos significativos, como a conversão de Estêvão, o discurso de Pedro na casa de Cornélio, e a perseguição aos cristãos em Jerusalém.

Tudo isso teve um papel importante na formação das ideias e conceitos que seriam pregados por Paulo em sua missão aos gentios.

Nesta seção, será examinado todo o contexto histórico envolvendo Paulo e suas experiências antes de sua viagem a Chipre e Antioquia da Pisídia, além de como isso influenciou sua mensagem e prática.

Esse contexto é fundamental para entender a importância do capítulo 13 de Atos dos Apóstolos como um momento decisivo da história do cristianismo primitivo.

Chamado de Paulo

O capítulo 13 do livro de Atos dos Apóstolos descreve como Paulo foi chamado e comissionado a levar a mensagem do Evangelho às nações gentias. Segundo os versículos, ele e Barnabé foram selecionados pela igreja de Antioquia para essa missão:

“Enquanto eles estavam ministrando ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: “Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. Depois de jejuar e orar, colocaram-lhes as mãos e os enviaram.” (Atos 13:2-3)

Esses versículos mostram a vontade de Deus nesse processo seletivo. Paulo foi escolhido pelo Espírito Santo para desempenhar uma importante missão na disseminação do Evangelho. A partir daí, ele se tornou o principal pregador do cristianismo no mundo gentio.

Os detalhes do chamado de Paulo e sua comissão para a missão são fundamentais para entender seu papel no desenvolvimento do cristianismo primitivo e a importância de sua mensagem para os não judeus.

Esses aspectos serão abordados com mais profundidade nas seções seguintes deste estudo de Atos dos Apóstolos 13.

Viagem a Chipre

Após serem enviados pelo Espírito Santo, Paulo e seus companheiros iniciam a jornada até Chipre, uma ilha no Mediterrâneo. Chegando lá, eles encontram a comunidade judaica local e iniciam a pregação do evangelho.

O propósito dessa visita era levar a mensagem do Evangelho às nações gentias, incluindo as comunidades judaicas da diáspora.

Porém, Paulo e seus companheiros enfrentaram desafios ao longo do caminho, como a resistência dos judeus locais e a oposição de um feiticeiro chamado Elimas.

Mesmo diante desses obstáculos, a mensagem de Paulo começa a encontrar acolhimento entre os gentios, que se mostram receptivos e abertos à proposta de salvação por meio de Jesus Cristo.

Essa primeira parada em Chipre é um momento crucial na missão de Paulo, que começa a estabelecer as bases para a disseminação do cristianismo entre os gentios de toda a região.

Encontro com Barjesus

No décimo versículo de Atos dos Apóstolos 13, Paulo e Barnabé encontram-se com um falso profeta chamado Barjesus, também conhecido como Elimas.

Barjesus era um judeu da corte do governador da ilha de Chipre, Sérgio Paulo, que estava interessado em ouvir a mensagem de Paulo e Barnabé. No entanto, quando Paulo tentou converter o governador, Barjesus interveio e começou a resistir à pregação.

A reação de Paulo foi intensa. Ele, cheio do Espírito Santo, repreendeu Barjesus e o cegou temporariamente. Esse episódio foi um sinal poderoso da atuação de Deus na vida de Paulo e da importância da mensagem do Evangelho para todos os povos.

Esse encontro tem uma grande importância espiritual no capítulo 13 de Atos dos Apóstolos e convidamos o leitor a continuar acompanhando a análise dos demais versículos desse capítulo.

Sermão em Antioquia da Pisídia

Na sinagoga de Antioquia da Pisídia, Paulo teve a oportunidade de pregar um sermão que é considerado um dos discursos mais importantes dos primeiros cristãos. Ele começa destacando o papel de Deus na história do povo judeu, desde a libertação do Egito até a vinda de João Batista.

Em seguida, Paulo apresenta Jesus como o cumprimento das profecias anunciadas pelos profetas judeus, enfatizando o seu nascimento, vida, morte e ressurreição como elementos centrais da mensagem de salvação.

Ele afirma que, através da fé em Jesus, é possível obter a justificação que a lei mosaica não conseguia proporcionar.

Porém, nem todos os ouvintes acolheram bem a mensagem de Paulo. Alguns zombaram e rejeitaram o seu ensinamento, enquanto outros manifestaram interesse e disseram que queriam ouvir mais sobre o assunto.

Esse sermão é um exemplo da habilidade de Paulo em comunicar a mensagem do evangelho de forma clara e persuasiva, utilizando as Escrituras judaicas como fundamento para argumentação.

Além disso, o episódio na sinagoga de Antioquia da Pisídia ilustra a rejeição que Jesus e seus seguidores enfrentaram por parte das autoridades e da comunidade judaica da época.

“Em Jesus, a promessa feita aos pais foi plenamente cumprida para nós, seus filhos, como está escrito no segundo salmo: Tu és meu filho; eu, hoje, te gerei. E que Deus o ressuscitou dos mortos para nunca mais retornar à corrupção, atribuiu-o assim: E cumprirei a respeito de vós as santas promessas feitas a Davi.

Por isso, diz também em outro texto: Não permitirás que o teu Santo sofra corrupção. Pois, na verdade, tendo Davi servido à vontade de Deus em sua própria geração, dormiu, foi reunido a seus antepassados e viu corrupção; mas aquele a quem Deus ressuscitou não viu a corrupção” (Atos dos Apóstolos 13:33-37).

Reações ao sermão

A audiência do sermão de Paulo teve reações diversas. Alguns ouvintes foram tocados pelas palavras do apóstolo e demonstraram interesse em conhecer mais sobre Jesus Cristo. Outros, porém, rejeitaram a mensagem e se opuseram a Paulo, chegando a expulsá-lo da cidade.

Os que se interessaram pelo sermão foram descritos como “os que temiam a Deus” (Atos 13:43) e compreendiam a importância da salvação em Jesus Cristo. Segundo os versículos, muitos desses ouvintes se converteram e passaram a seguir Paulo e seus companheiros.

Por outro lado, a oposição dos judeus foi forte e eles chegaram a persegui-los em diversas cidades (Atos 13:50).

A hostilidade foi tamanha que Paulo e seus companheiros precisaram fugir para outras regiões, deixando para trás uma semente da palavra que germinaria nos corações dos que se dispuseram a ouvir.

Rejeição dos judeus e acolhimento dos gentios

Durante sua missão em Antioquia da Pisídia, Paulo encontrou resistência e rejeição por parte da comunidade judaica local, apesar de sua mensagem de salvação por meio de Jesus Cristo ter sido bem recebida por muitos gentios que estavam presentes em seu sermão.

A rejeição dos judeus ao evangelho pregado por Paulo é um dos principais temas deste capítulo do livro de Atos dos Apóstolos.

No entanto, mesmo diante da hostilidade de alguns membros da comunidade judaica, Paulo não se desencorajou e continuou pregando a mensagem do Evangelho para aqueles que estivessem dispostos a ouvi-la.

A rejeição dos judeus apenas ressaltou a importância da missão de Paulo de levar a mensagem da salvação aos gentios, como evidenciado pelo número crescente de convertidos gentios que demonstraram interesse e aceitação da mensagem.

Podemos perceber neste capítulo de Atos dos Apóstolos 13 a importância da perseverança e confiança em Deus mesmo diante da oposição e hostilidade. Paulo nos ensina que devemos ser persistentes na pregação do Evangelho, mesmo em face da adversidade.

Conclusão

Em conclusão, o capítulo 13 de Atos dos Apóstolos representa um importante marco na história da difusão do cristianismo. Paulo é apresentado como um importante líder e pregador da mensagem de Jesus Cristo aos gentios, e sua missão é iniciada com sua comissão divina em Antioquia.

Os acontecimentos descritos neste capítulo mostram a rejeição dos judeus ao evangelho pregado por Paulo, e a aceitação dos gentios, o que mais tarde se tornaria uma questão crucial para a Igreja primitiva.

Em Atos 13 está também registrado o famoso sermão de Paulo em Antioquia da Pisídia, onde ele exalta a importância da ressurreição de Jesus Cristo e sua mensagem de salvação. Esse sermão é considerado uma das pregações mais influentes da história do cristianismo.

Em resumo, o capítulo 13 de Atos dos Apóstolos é um ponto de partida para a missão de Paulo e um exemplo do poder transformador do Evangelho de Jesus Cristo. A história registrada nesse capítulo continua a inspirar e desafiar os cristãos até hoje.

Leitura anterior: Ato dos Apóstolos 12

Próxima leitura: Ato dos Apóstolos 14

Veja todos os estudos dos Atos do Apóstolos

Cristão, pai e uma pessoa que busca seguir os ensinamentos de Jesus Cristo. Aqui busco fazer um estudo das Escrituras Sagradas, buscando a reflexão e os ensinamentos contidos nos livros do Novo e Antigo Testamento. Você pode entrar em contato através do e-mail: contato@evangelhos.com.

Comente