Evangelho segundo João

O Evangelho de João, o quarto livro do Novo Testamento, é uma obra teológica rica que destaca a divindade de Jesus Cristo. Tradicionalmente atribuído ao apóstolo João, embora comumente aceito que possa ter sido escrito por uma comunidade joanina, o Evangelho é datado entre 90-110 d.C. Diferenciando-se dos Sinópticos, João não se limita a uma narrativa cronológica, mas explora profundamente os ensinamentos de Jesus.

João inicia com o prólogo, descrevendo Jesus como o “Verbo” que se tornou carne. O Evangelho apresenta uma série de “Eu sou” declarativos, nos quais Jesus revela sua divindade e propósito redentor. A narrativa destaca milagres específicos, chamados de “sinais”, como a transformação da água em vinho em Caná e a ressurreição de Lázaro.

Envangelho de João

A Última Ceia e os extensos discursos de Jesus sobre o Consolador, o Espírito Santo, são proeminentes em João. O autor enfatiza a importância da fé em Jesus como meio de vida eterna. A crucificação e ressurreição são apresentadas com profundidade teológica, apontando para a vitória sobre o pecado e a morte.

O Evangelho de João oferece uma perspectiva espiritual e reflexiva sobre a natureza de Jesus, convidando os leitores a uma fé mais profunda e a uma compreensão mais ampla da redenção divina. Sua abordagem única enriquece a compreensão da pessoa de Jesus e do significado mais profundo de sua obra redentora.